Brasil, 14/10/2019

Negociação por meios digitais é preferência entre os brasileiros para limpar o nome no SPC e Serasa

O levantamento do Instituto Locomotiva em Parceria com o Negocia Fácil mostra que 51% da população prefere negociar diretamente com portais online

dino

“A Era é digital. Os devedores querem soluções menos invasivas e adaptadas a seus novos hábitos”, relata José Moniz.

São Paulo, 09/10/2019 –

Acesso virtual às contas, facilidade no pagamento e praticidade na realização de operações já fazem parte do cotidiano dos brasileiros. De acordo com “A ascensão dos bancos digitais”, um estudo comissionado pelo Facebook IQ, 76% dos brasileiros já usam os serviços disponibilizado pelo internet banking e entre eles, 90% o fazem por meio do smartphone. Essa realidade também impactou positivamente a indústria financeira e as empresas de cobrança, que transformaram seus sistemas em operações digitais para potencializar a recuperação de crédito, ao mesmo tempo que reduzem custos.

Segundo o levantamento do SPC com dados da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 53% dos devedores têm dívidas acima de R$ 1.000,00 reais e em média o brasileiro que tem nome sujo deve R$ 3.277,74 reais, esses dados ainda ressaltam a frustração à retomada da economia. A previsão é de que a inadimplência comece a recuar a partir de 2020 e a renegociação digital entra neste cenário como uma nova possibilidade de ressarcimento.

Atualmente o mercado de cobrança traz algumas opções de plataformas digitais às empresas credoras. Estas companhias podem optar por assessorias de cobrança com ações digitais, marketplace, portais de renegociações ou serviços de cobrança brand dressing, no entanto será que essa transformação é preferência pelos inadimplentes? Afinal ao se tratar de negociações de dívidas os devedores estavam acostumados a interagir com uma pessoa física.

De acordo com o Raio-X da Inadimplência Brasileira, uma pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva, em parceria com o serviço de cobrança digital Negocia Fácil, 51% dos inadimplentes preferem negociar suas dívidas através de computadores, dispensando conversas com atendentes. “A Era é digital. Os devedores querem soluções menos invasivas e adaptadas a seus novos hábitos. É neste momento que a tecnologia entra a favor do usuário e facilita todo o processo da negociação. Dar ao inadimplente a autonomia para solucionar suas dívidas onde e quando quiser faz toda a diferença”, ressalta José Moniz, Head de Negócios Digitais do Negocia Fácil.

A premissa deste setor não é apenas fazer cobrança por meios digitais, mas criá-la de forma disruptiva, além de adaptar a sua linguagem a este tipo de plataforma. Foi este o lema usado pelo Negocia Fácil, ao transformar sua metodologia em 2017. De acordo com José Moniz, Head de Negócios Digitais do Negocia Fácil, a metodologia Neo Collect tem como premissa restabelecer a relação de consumo entre a marca e o consumidor, sem assédio na cobrança, mais sim, gerando uma experiência satisfatória, onde ele se sinta respeitado e seja capaz de encontrar sozinho o melhor caminho para a renegociação. “Trabalhamos com o conceito de comunicação positiva com o cliente, onde deixamos de cobrar dívidas e passamos a vender adimplência”, enfatiza.

Para o consumidor que deseje negociar as suas dívidas da Claro, Credz ou Jequiti através do Negocia Fácil, basta acessar https://negociafacil.com.vc/clientes/, clicar na logo marca da empresa desejada e seguir o passo a passo.

Website: https://negociafacil.com.vc/

Compartilhe: