Grupo de Estudos sobre Abelhas no Piauí inicia trabalho de descrição de grãos de pólen

No mês de janeiro, o Grupo de Estudos sobre Abelhas do Semiárido Piauiense (GEASPI), do Campus Senador Helvídio Nunes de Barros, da Universidade Federal do Piauí, em Picos, iniciou o trabalho de descrição dos grãos de pólen que compõem a sua palinoteca, que possui atualmente cerca de 40 espécies identificadas, provenientes de coletas na região semiárida ao longo de dois anos.

Segundo a coordenadora do GEASPI, Profa. Dra. Juliana Bendini, “Este trabalho possibilita a identificação de produtos apícolas por origem botânica, valorizando economicamente estes produtos como oriundos da caatinga”.

A aluna do curso de Ciências Biológicas Jossandra do Nascimento explica que com auxílio de um microscópio com câmera acoplada é possível realizar as medições do grão de pólen que são necessárias para sua descrição.

Aluna Jossandra do Nascimento durante trabalho de medição dos grãos de pólen

Ilustração científica

Outra ação em desenvolvimento é a ilustração científica das plantas e seus respectivos grãos de pólen. A convite do GEASPI, a ilustradora gaúcha Norma Hennemann, que recentemente participou de uma formação no Instituto Nacional de Pesquisas Amazônicas (INPA), participou do trabalho nas últimas duas semanas.  “A ilustração científica é uma arte muito antiga, mas ainda hoje pouco valorizada apesar de suas potencialidades, inclusive didáticas e para divulgação científica”, afirma a ilustradora.

Ilustradora científica convidada pelo GEASPI

Resultado

Veja também  Centro de Pesquisa quer entender o que faz o brasileiro feliz

Como resultado, foram produzidas três pranchas, cada uma de uma planta de um hábito diferente da caatinga. As ilustrações serão incorporadas ao acervo do GEASPI e ao trabalho de conclusão de curso da aluna Jossandra.

Medições realizadas pela aluna Jossandra do Nascimento

A coordenadora do grupo destaca que a palinoteca possibilita a realização de vários trabalhos, muitos de valor social e econômico.

Foto: Pixabay
Fonte: UFPI

Compartilhe: