Novos hábitos ajudam a transformar prática de comer fora de casa

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) lançou, recentemente, a nova Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), feita entre os anos de 2017 e 2018. De acordo com a pesquisa, em se tratando de gastos familiares, quase um terço deles é destinado à alimentação feita fora de casa.

Dentro desse espectro, estão também as entregas de comida feitas por aplicativos que, já há algum tempo, consolidaram-se como uma alternativa de consumo mais prática no mercado da alimentação. Outro destaque entre os dados apurados pelo instituto foi a queda da procura por alimentação fora de casa na região Sudeste.

Segundo Rodrigo de Losso, professor do Departamento de Economia da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP, essa queda pode ter relação com as mudanças na estrutura de trabalho. Isso porque o número de profissionais que fazem home office nos Estados do Sudeste é maior do que em outras regiões do País e eles, possivelmente, possuem mais recurso de preparar comidas caseiras.

O professor também fala sobre os fatores que levam à procura por esse recurso e dá dicas de como reduzir os gastos com essa prática no orçamento familiar.

Veja também  Experimento usa lente com ferro para revelar como magnetismo controla trajetória da luz

Ouça reportagem no player abaixo.

 

Áudio: Rádio USP

Texto: 

Foto: Pixabay

Fonte: Jornal da USP

Compartilhe: