Pesquisadora desenvolve probiótico utilizando queijos do Norte de Minas

Utilizando bactérias isoladas de queijos artesanais da região do Norte de Minas, pesquisadores do Instituto de Ciências Agrárias (ICA) da UFMG desenvolveram um leite fermentado com microrganismos vivos benéficos à saúde humana.

Rico nutricionalmente, o probiótico (produto alimentar que contém microrganismos vivos cuja ingestão gera benefícios para a saúde) oferece benefícios, como melhora da imunidade e complemento de vitaminas, e tem baixo custo.

O produto foi desenvolvido por meio de avaliação em laboratório de 15 amostras de queijos da região. Após as análises, as bactérias apresentaram resultados positivos em todos os testes, comprovando que o produto está apto para consumo humano.

A pesquisa foi desenvolvida pela nutricionista Amanda Cristina Mendes Gusmão, durante o seu mestrado em Produção Animal.

O probiótico foi pauta da edição desta semana do programa Veredas da Ciência: pesquisas e projetos do Norte de Minas, veiculado pela Rádio UFMG Educativa Montes Claros. A produção e a reportagem são de Amanda Lelis.

 

Foto: Amanda Mendes

Fonte: UFMG

Compartilhe:
Veja também  Estudo mostra que estrutura da fala na psicose é resistente a educação formal