Pesquisadores da UFG testam uso de fungos para controle de carrapatos

Uma pesquisa do Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública da Universidade Federal de Goiás está testando a eficácia de uma técnica biológica para o controle do carrapato dos bovinos. Esses carrapatos são responsáveis por transmitir agentes causadores de doenças como a babesiose e a anaplasmose nos bovinos. A pesquisa utiliza fungos que infectam o carrapato, causando uma doença nele e matando-o na pastagem.

Equipe da pesquisa controle de carrapatos
Técnica cria alternativas ao produtor de bovinos para controle dos carrapatos (Imagens: TV UFG)

Segundo o professor e coordenador das pesquisas, Éverton Kort, os fungos utilizados são do gênero Metarhizium, muito utilizados no controle biológico de uma praga chamada cigarrinha, que acomete pastagens e a cultura da cana. Esses fungos não são patogênicos para humanos e outros vertebrados, e sua utilização representa uma proposta sustentável. A ideia da pesquisa é criar um produto a ser aplicado no campo que seja capaz de infectar o carrapato no momento em que este vai ao solo para fazer a oviposição.

A equipe de pesquisa tem produzido vários testes em laboratório e semicampo (ambiente externo parcialmente controlado). Os testes de laboratório vem apresentando resultados promissores; os testes de semicampo, com controle parcial de variáveis, também já mostraram eficácia. Nesses testes, o fungo em formulação particulada é aplicado na pastagem e produz conídios, que são células capazes de infectar os carrapatos; em seguida, carrapatos são distribuídos nesses locais para avaliação da eficácia do produto.

Veja também  Estudo identifica novas funções de molécula envolvida no melanoma

Éverton Kort explica que esses fungos, na verdade, estão presentes naturalmente no ambiente. A técnica aumenta a quantidade deles na pastagem de forma a diminuir a população de carrapatos fazendo com que ambos voltem ao equilíbrio natural no ambiente. Os fungos são bastante resistentes e exigem condições de temperatura e umidade próximas daquelas que os carrapatos necessitam para sobreviver no local.

Carrapatos
Produto infecta o carrapato no momento da oviposição 

O professor ressalta que o método biológico é uma alternativa a mais ao uso de produto químico e não descarta sua utilização. Mas explica que apesar do grande número de produtos disponíveis, poucas classes químicas são altamente efetivas contra o carrapato, o que leva a associação dessas classes pela indústria para aumentar sua eficácia. Por isso, ressalta Éverton Kort, é preciso criar novas alternativas que auxilie o produtor, e é essa a intenção da pesquisa.

Parcerias e financiamento
A pesquisa é uma entre diversas outras realizadas no IPTSP e na Escola de Veterinária e Zootecnia da UFG envolvendo o controle de carrapatos em bovinos, cães e também os que parasitam humanos. O professor relata que para chegar aos resultados com os fungos foram feitas parcerias com a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Embrapa Meio Ambiente, Embrapa Arroz e Feijão, e Faculdade de Farmácia da UFG. A pesquisa conta com recursos da Capes, CNPq e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg).

Infográfico Controle Biológico
Gráfico descreve como se dá a ação dos fungos no controle dos carrapatos (Créditos do gráfico: Artur de Oliveira Franco)

 

Confira a matéria produzida pela TV UFG sobre a pesquisa:

 

Texto: Kharen Stecca/Secom UFG

Foto: Pixabay

Fonte: Jornal UFG

Compartilhe: