Iniciativas brasileiras de IoT concorrem em premiação da ONU

Duas iniciativas brasileiras no campo de internet das coisas (IoT) concorrem à 8ª edição dos Prêmios da Cúpula Mundial sobre Sociedade da Informação (Wsis Prizes 2019), das Nações Unidas, que será entregue em abril, na Suíça. A premiação reconhece iniciativas mundiais que utilizam as tecnologias da informação e comunicação como fatores para o desenvolvimento sustentável. Os vencedores serão escolhidos em votação aberta ao público na internet, até o dia 10 de fevereiro.

Plano Nacional de Internet das Coisas, parceria do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC) com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), recebeu uma das indicações. Conduzido pelo consórcio McKinsey/Fundação CPqD/Pereira Neto Macedo, selecionado por chamada pública do banco de fomento, o estudo Internet das Coisas: um Plano de Ação para o Brasil faz um diagnóstico e propõe um plano estratégico de ação para o País em internet das coisas (IoT, do inglês internet of things).

O plano detalha as principais áreas em que o País pode se beneficiar da IoT, tecnologia que permite a interconexão digital via internet de objetos do dia a dia com eletrônica embarcada e dotados de capacidade computacional de comunicação.

 

Iniciativas brasileiras de IoT concorrem a premiação da ONU

 

O BNDES também foi indicado pelas chamadas públicas dos projetos-piloto de IoT nas vertentes de indústria, de cidades, de saúde e rural. As inscrições para a chamada de projetos para indústria — em parceria com Associacāo Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrappi) e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) — continuam abertas até 8 de fevereiro no Portal da Indústria.

A chamada vai selecionar planos de inovação para criação de ambientes de testes de soluções tecnológicas de IoT para a indústria, atuando em parceria com grandes e médias empresas interessadas em explorar comercialmente as soluções tecnológicas testadas. Serão destinados recursos não-reembolsáveis que poderão chegar a 50% dos itens financiáveis. Caberão aos Institutos Senai de Inovação propor os planos que serão selecionados segundos critérios estabelecidos pelo BNDES.

 

“A internet das coisas tem espectro amplo de aplicações, podendo proporcionar um salto na produtividade e melhoria nos serviços públicos brasileiros”

(Ricardo Rivera, chefe do Departamento de Telecom, TI e Economia Criativa do BNDES)

 

“As indicações ao prêmio evidenciam que estamos no caminho certo, pois construímos um plano nacional com participação ampla da sociedade, e apoiaremos experiências-piloto orientadas a desafios locais”, comemora o chefe do Departamento de Telecomunicações, Tecnologia da Informação e Economia Criativa do BNDES, Ricardo Rivera. “A internet das coisas tem espectro amplo de aplicações, podendo proporcionar um salto na produtividade e melhoria nos serviços públicos brasileiros”.

Veja também  Pesquisador da UFPB vence o Young Professional Award

Outras iniciativas – No âmbito governamental, também foram indicados ao prêmio a Estratégia Brasileira para a Transformação Digital, que apresenta 100 ações para acelerar a digitalização da economia brasileira, e o Start-Up Brasil, programa de apoio a empresas nascentes de base tecnológica.

Outras indicações os parques tecnológicos de São José dos Campos, Campinas, Sorocaba, Botocatu e São Carlos; os programas Telessaúde de Alagoas, Pernambuco, Amazonas, Maranhão, Rio Grande do Sul, Rio, Goiás, Paraná, Mato Grosso, Ceará, Bahia, Minas, São Paulo, Paraíba, Santa Catarina e Espírito Santo; e a Nascente, incubadora tecnológica de empresas do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG).

Fora da esfera governamental, numerosas iniciativas foram indicadas. Uma delas é a InfoPreta, de São Paulo, primeira empresa de reparos e serviços tecnológicos que conta apenas com mulheres negras e pessoas LGBT no Brasil. A empresa oferece manutenção de computadores desktop, laptop e sistemas macOS.

O Mapa do Acolhimento, plataforma que conecta mulheres que sofreram violência a uma rede de terapeutas e advogadas dispostas a ajudá-las de forma voluntária, também concorre ao prêmio, assim como a Escola de Você, idealizada pelas jornalistas Ana Paula Padrão e Natália Leite para oferecer gratuitamente ensino online, buscando dar às mulheres as habilidades necessárias à construção de uma rede de sororidade.

No setor agropecuário, foram indicadas a Sumá, plataforma de comercialização justa da agricultura familiar que conecta diretamente produtores com compradores de alimentos, a Horus Aeronaves, que fornece soluções agrícolas baseadas em mapeamento por drones, e a Olho do Dono, com seu sistema de medição do peso do gado baseado em imagens captadas por câmeras 3D portáteis. O apoio à inovação rendeu ao Hospital Albert Einstein uma indicação, por sua incubadora de startups.

A vertente ambiental foi explorada pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), que concorre com o programa Abinee Recebe Pilhas. Lançado em novembro de 2010, o programa já coletou mais de uma tonelada de pilhas e baterias usadas para dar a destinação correta a esses resíduos.

Prêmio Wsis – O próximo passo da premiação é uma votação aberta ao público na internet, até o dia 10 de fevereiro. As cinco iniciativas mais votadas em cada categoria serão reveladas no Fórum Wsis 2019, que acontece de 8 a 12 de abril em Genebra.

O evento é organizado pela União Internacional de Telecomunicações (ITU) em parceria com Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (Unctad) e Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

 

Foto: Pixabay

Fonte: Agência BNDES de Notícias

Compartilhe: