Parque Tecnológico de Ribeirão Preto é indicado para prêmio da Cúpula Mundial sobre Sociedade da Informação

O Parque Tecnológico de Ribeirão Preto foi indicado na categoria Infraestrutura de Comunicação e Informação e concorre com outras 124 instituições de todo o mundo na edição 2019 do WSIS Prizes (Prêmio da Cúpula Mundial para a Sociedade da Informação – CMSI), instituição ligada à Organização das Nações Unidas (ONU). A iniciativa premiará os melhores projetos e atividades na área de Tecnologia da Informação e Comunicação. São 18 categorias, sendo que cada uma delas reflete uma das linhas de ações da CMSI.

O Supera Parque de Inovação e Tecnologia de Ribeirão Preto, gerido pela Fipase, é resultado de uma parceria entre Universidade de São Paulo (USP), Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto e Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo.

O prêmio é coorganizado pela União Internacional de Telecomunicações (UIT) – a agência da ONU especializada em tecnologias de informação e comunicação –, Unesco, PNUD e Unctad e distribuído desde 2012. O critério para a participação é o desenvolvimento de mecanismos de tecnologia da informação que promovem desenvolvimento e é aberto à participação de governos, instituições de pesquisa e do setor privado. O objetivo é reconhecer histórias de sucesso que possam ser replicadas em outros locais.

Veja também  Tecnologia baseada em Internet da Coisas promete redução da obesidade infantil

Para participar, as instituições se inscreveram e passaram por processo de seleção. Agora, as instituições e projetos selecionados receberão votos populares, pela internet, até 10 de fevereiro. Para votar, é preciso preencher um cadastro no site http://www.wsis.org/prizes.

Etapas

Os cinco projetos mais votados da categoria passam para a próxima fase, onde um grupo de experts da ONU irá avaliar o impacto da iniciativa e sua adequação às diretrizes da CMSI. Depois, as instituições escolhidas serão analisadas minuciosamente por especialista da ONU. A divulgação dos vencedores ocorrerá em abril em Genebra, na Suíça.

 

Foto: Pixabay

Fonte: FAPESP

Compartilhe: